A organização de estoques para além das planilhas

Quando começamos a organizar o controle de um estoque é normal optarmos pelas planilhas. Mas isso só funciona com certa segurança enquanto o estoque ainda não é tão grande ou ainda não há tanta movimentação. Mas sempre pode haver erros, principalmente na inserção de dados referentes à entrada e saída de produtos. E esses erros, com o passar do tempo, viram um bicho de sete cabeças difícil de descobrir onde está, quando aconteceu e quem foi o responsável. Quanto maior o estoque e maior a movimentação dele, maiores as chances dos erros humanos acontecerem.

Felizmente as ferramentas de automação estão aí para não só dar total segurança no manejo dos dados do estoque, como também funcionam como suporte para tomadas de decisões.

A adoção de um sistema de automação ERP para o gerenciamento de processos empresariais traz inúmeras vantagens ao negócio, e a gestão de estoques é uma das grandes beneficiadas, pois a automação:

  • Melhora o gerenciamento do estoque com relação à quantidades, valores e localização física;
  • Otimiza o processo de compras;
  • Elimina o uso de planilhas paralelas em Excel, o que reduz riscos de cálculos errados;
  • Dá maior segurança no momento da venda, pois o vendedor pode consultar o saldo e fazer a reserva para o cliente com a certeza de que poderá entregar;
  • Proporciona maior controle da equipe de vendas;
  • Fornece notificações periódicas sobre o nível do estoque;
  • Faz rotinas de inventário;
  • Permite manter um controle de históricos, de cotações e requisições de compra;
  • E auxilia na tomada de decisões.

Adotar um sistema de gestão automatizado é, sem dúvidas, uma decisão estratégica para qualquer negócio que queira crescer de forma organizada (e quem não quer?). Trocando por outras palavras os itens acima, o ERP ajuda a empresa a reduzir riscos com perdas financeiras e traz mais agilidade e eficiência aos processos operacionais e administrativos - o empresário poderá investir melhor seu tempo em outras questões importantes. Além disso, tendo conhecimento preciso sobre o estoque e sobre a demanda, o empresário terá mais segurança para negociar com fornecedores questões importantes como preços, prazos e forma de pagamento. Outro ponto forte em conhecer bem o estoque é saber quando algum produto precisa ser desovado e fazer campanhas promocionais para facilitar sua saída, ou até mesmo saber que produtos estão com demanda baixa há mais tempo no histórico de vendas e decidir se é melhor eliminá-lo do catálogo.

A Solução ERP Empresário faz isso e muito mais. Quem sabe ela não é a solução perfeita que você precisa para sua empresa?

3 dicas para você encantar seu cliente

3 dicas para você encantar seu cliente

No processo de prospecção de clientes, fala-se muito em atração, conquista, fidelização, retenção, e por aí vai. Mas como fazer para que o cliente tenha uma experiência diferenciada com a sua marca? Como encantá-lo verdadeiramente? Se você se sente perdido nessa hora, saiba que esse é um fator crítico para muitas organizações.

 

Por isso, trouxemos algumas lições para encantar o cliente. Afinal, mais do que suprir as necessidades do consumidor, as marcas devem ter produtos/serviços que excedam as expectativas dele. Sabia que algumas pesquisas já apontaram que clientes pagariam mais por uma experiência melhor?

 

Então, como fazer para que os clientes tenham grandes experiências com a sua marca? Confira nossas dicas.

 

Veja como colocar em prática 3 dicas que vão encantar os clientes

 

1) Crie interações verdadeiras

Clientes felizes que têm seus problemas resolvidos compartilham com 4 a 6 pessoas sobre sua experiência. Trate seus clientes de forma pessoal, saiba o nome deles e o histórico com a marca, cuide dos detalhes. Crie laços com eles – laços vão além de uma relação comercial. Como disse Walt Disney, “Seja o que for: faça bem feito. Faça isso tão bem feito que, quando as pessoas virem o que você fez, elas vão querer voltar para ver de novo e vão trazer outras pessoas só para mostrar o seu trabalho”.

 

Todo ser humano gosta de se sentir querido, importante, e se isso acontece, pode ter certeza que ele vai contar a experiência positiva para outros. É uma excelente forma de criar um boca-a-boca.

 

2) Troque de lugar

Troque de lugar com o cliente e se pergunte: que tipo de experiência eu gostaria de ter? E aí não considere apenas evitar experiências negativas, mas sim proporcionar experiências memoráveis que irão deixar seus clientes querendo mais e querendo contar para todo mundo. Uma boa ideia é desenhar todo o processo, desde quando é feita a primeira interação do cliente com a empresa até a última interação. Quando mais se prolonga esse processo, maiores são as chances de se criar experiências positivas e construir laços.

 

3) Descubra o que está por trás do que o cliente quer

Quando um cliente adquire seu produto/serviço, o que será realmente que ele espera? Não se trata de saber apenas se ele gostou das características do seu produto/serviço - elas são apenas meios para um fim. O resultado que está por trás é o que o cliente está verdadeiramente comprando. Pense nisso!

Seu e-commerce está pronto para o futuro?

Seu e-commerce está pronto para o futuro?

PS.: O futuro é logo ali!

 

Segundo dados divulgados pela BigData Corp., o Brasil já conta em 2017 com 600 mil e-commerces (um crescimento de 9,23%) em atividade. E não é de se duvidar, já que temos visto, com cada vez mais frequência, lojas físicas empreendendo também no mundo virtual, afinal não querem perder fatia de mercado – ainda mais considerando que as lojas físicas tiveram um decréscimo de desempenho de 6,2% de acordo com o IBGE. E temos visto em grande número também o surgimento de lojas que só existem digitalmente mesmo – muitos artesãos e estilistas, por exemplo, estão vendendo seus produtos online.

 

Já segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico – ABComm – o mercado de e-commerce nacional faturou R$ 53,4 bilhões em 2016 e apresentou alta de 11% em relação a 2015. A expectativa é que neste ano o crescimento continue, atingindo um faturamento de R$ 59,9 bilhões.

 

E como os pequenos e médios empresários do setor podem se destacar nesse cenário de competição crescente? É necessário sim investir cada vez mais no mundo virtual. Mas que caminhos seguir? Aqui citamos algumas tendências para você ficar de olho:

 

1) Cresce o número de compras via dispositivos móveis

É cada vez maior o número de consumidores que fazem suas compras por smartphones e tablets. E de acordo com a pesquisa da BidData Corp., 24,2% das lojas eletrônicas brasileiras possuem sites responsivos para mobile, essencial para garantir que o cliente tenha uma boa experiência no seu site e fique nele até o final da compra. Além disso, é importante também incluir na sua estratégia de comunicação digital o investimento em campanhas online, como anúncios em links patrocinados e redes sociais, sempre voltados ao acesso mobile, com atalhos para área de conversão e fácil caminho para a loja online. Segundo a pesquisa, o uso de mídias sociais pelo comércio eletrônico alcançou 72,43% neste ano contra 60,71% de 2016. A grande vantagem de investir nessas mídias é que elas são acessíveis mesmo para pequenos empresários.

 

2) Compras online com retirada física

Algumas lojas já trabalham dessa forma, mas ainda nem todas exploram essa possibilidade: o cliente compra na loja virtual, mas tem a opção de retirar na loja física. Isso pode ser uma vantagem para o cliente que não queira pagar o frete, ou que esteja com mais pressa para receber o produto. Por outro lado, você pode proporcionar uma experiência física diferenciada para o cliente que poderá interagir com outros produtos e, quem sabe, até fazer mais compras. Mesmo que você seja pequeno e não tenha um espaço físico oficial, pode oferecer a possibilidade da pessoa retirar com você em um ponto de encontro. Essa mistura do mundo físico com o virtual vem ganhando força.

 

3) Misturando o mundo real com o virtual

Continuando o que falamos no ponto anterior, a convergência entre o real e o virtual é uma tendência já sinalizada no exterior. Por exemplo, a Amazon anunciou bem recentemente que está testando uma nova forma de serviço: as pessoas podem ter as roupas entregues em casa para experimentá-las e podem devolver as que não quiserem. Se o cliente decidir ficar com um duas a três peças, tem um desconto de 10%; se quiser ficar com quatro ou mais, ganha 20% de desconto. E isso tudo com fretes gratuitos.

Dicas de como fazer seu negócio crescer

3 dicas básicas (mas muitas vezes 'esquecidas') para fazer seu negócio crescer

 

Em meio à cenário político-econômico turbulento, concorrência, avanços tecnológicos que às vezes parecem até difícil de se acompanhar, consumidores gastando menos, como manter a competitividade? Melhor: como fazer seu negócio crescer?

 

Seguem três dicas - mas muitas vezes negligenciadas - que vão te ajudar a dar aquela turbinada na sua empresa:

 

1) Invista em mobilidade

Sabia que em muitos países, inclusive no Brasil, as pessoas se conectam hoje muito mais pelos dispositivos móveis do que pelo pc? Então, se você quer alcançar um público cada vez maior, quem sabe até internacional, deve sem dúvida alguma investir em um site responsivo. E vá além, invista em tecnologias na sua empresa que lhe permitam, por exemplo, gerenciar seu negócio de onde estiver, e pelo dispositivo que tiver à disposição na hora. A tecnologia em cloud computing está aí para que possamos trabalhar de qualquer lugar, e ganhar tempo para pensar em outras questões importantes para o coração do negócio, como: cuidar dos clientes, fazer análises e desenhar estratégias, e até mesmo ter mais tempo para si.

 

2) Organize-se

Ter uma gestão organizada é princípio básico para qualquer negócio de sucesso. Ter controle de estoque eficaz, bem como do fluxo de caixa - saber quanto entra e quanto sai, qual o lucro e como irá investi-lo -, conhecer seu público e seus parceiros - e manter um relacionamento sustentável com eles -, ter toda a parte contábil e tributária sempre em ordem, e tudo o mais que envolva a gestão da sua empresa. A desorganização só vai atrapalhar seu caminho para o crescimento.

 

3) Terceirize

Olhe para sua equipe, seus processos e o trabalho que se tem que fazer regularmente. Haverá os pontos fortes, bem como os pontos de deficiência que a equipe não cobre, talvez por falta de expertise naquele determinado assunto. Então, considere terceirizar as áreas que demandam mais sacrifício ou esforço seu e de seus colaboradores. Coloque na ponta do lápis e calcule a diferença em custos de se contratar um empregado ou terceirizar o serviço. Aliás, essa conta pode te ajudar na tomada de decisão.

 

Se você colocar essas dicas em prática, com certeza terá uma perspectiva de crescimento mais concreta e muito mais positiva para o seu negócio. E a partir disso, poderá fazer muito mais pela sua empresa.

5 coisas produtivas para você fazer durante o recesso

5 coisas produtivas para você fazer durante o recesso


Passamos o ano todo correndo, com uma lista enorme de tarefas, compromissos, horários. Acabamos não fazendo muitas coisas que temos vontade porque, ou não sobra tempo, ou energia. E, apesar de no recesso dar aquela vontade de só se divertir e festar, pode ser uma boa também tirar alguns itens dessa lista de coisas que nunca conseguimos fazer.

Por exemplo:

1) Escrever mensagens pessoais - de agradecimento, de dicas, ou apenas para dar um 'oi'

Sabe aquele colega que fez algo por você, e você queria ter agradecido devidamente, mas com a correria acabou passando batido? Ou aquele artigo que você leu e achou que poderia ajudar aquele outro colega, ia compartilhar o link, mas o telefone tocou e você acabou se esquecendo? Ou aquele amigo das antigas, que você sempre se lembra mas já não fala há tempos? A calmaria do final do ano é uma ótima ocasião para colocar todas essas mensagens em dia. Certamente você ficará com uma sensação boa depois de escrever para essas pessoas. PS.: ao invés de escrever, você pode telefonar também, seria super simpático.

2) Planeje sua próxima viagem

Se você já sabe que vai fazer uma viagem em 2017, aproveite o recesso para fazer aquela boa pesquisa de valores de aéreo, de lugares para se hospedar, esboce um roteiro, peça dicas. Só pesquisar o aéreo e a acomodação costumam tomar um tempo considerável, então fazer isso mais tranquilamente no fim do ano é uma boa. Aliás, quanto mais perto da data da viagem, mais caro tudo vai ficando. Por isso, acertar tudo com antecedência, além de poupar o estresse de fazer tudo correndo depois, ainda vai ser vantajoso financeiramente.

3) Cultive um novo hábito

Você vive falando que vai começar a dormir mais cedo e aproveitar para fazer exercícios de manhãzinha, ou vai parar de fumar, ou vai começar o próprio blog, ou meditar. Contudo, esse tipo de coisas requer uma mudança não só mental como na rotina. E quem consegue mexer muito na rotina enquanto está às voltas com mil tarefas? Por isso o sossego do recesso do fim de ano é uma boa oportunidade de cultivar um novo hábito e, com paciência e determinação, você começará o ano já com essa meta sendo colocada em prática.

4) Aprenda algo novo

Pode ser que você vai viajar para um país cujo idioma você não domina. Que tal começar a estudar a língua por algum aplicativo? Ou pode ser que você tenha vontade de aprender alguma nova habilidade, que não necessariamente tenha a ver com o seu trabalho. Quem sabe um curso de culinária ou de música? Além de ser bom ter um hobby, é uma super chance de estimular áreas do cérebro que você geralmente não usa no dia-a-dia no trabalho.

5) Trace as resoluções de ano novo

Não estamos falando daquela lista que nunca se cumpre. Estamos falando sim de uma lista com metas específicas, reais e possíveis - mesmo que o desafio requeira um grande esforço. Para facilitar, você pode quebrar o objetivo final em várias etapas a serem cumpridas mensalmente - assim, cada passo dará a sensação de estar mais perto da meta final - o que é verdade -, e a motivação será maior.

Seleção dos melhores podcasts para empreendedores

Seleção dos melhores podcasts para empreendedores

Sabe aquele hora que você está perdendo um tempo imenso no trânsito, mas não tem como evitar? Que tal ocupar esse momento com algo produtivo? Ouvindo um podcast, por exemplo? Dá para aprender, abrir a cabeça para novas ideias e se inspirar bastante enquanto enfrenta o caminho demorado de ida para o trabalho/volta para casa. Ou enquanto faz o treino na academia, arruma a casa, toma banho..! É só achar um podcast com temas que realmente lhe interessem e colocá-lo na sua rotina.

Segue uma lista de podcasts super interessantes para você ouvir:

- TEDTalks Negócios: já sabemos quão inspiradores são os vídeos do TED. Mas, em momentos em que não dá para assistir, que tal ouvir? O TED tem um podcast em que os maiores inovadores, empresários e pesquisadores de negócios compartilham suas histórias.

- HBR IdeaCast: é da revista americana Harvard Business Review, e só por isso já dá para imaginar que tenha conteúdos relevantes. Conta com podcasts semanais com os principais pensadores e gestores de negócio da revista, e a variedade de temas é enorme (são pelo menos 300 opções de podcasts para serem explorados).

- GV Cast: muita gente já segue o Geração de Valor, do empreendedor Flávio Augusto. O que talvez nem todos sabem é que ele tem um podcast sobre empreendedorismo e negócios, que conta com um grupo do Facebook para debater conteúdos relacionados ao GV Cast.

- Braincast: do B9, é um podcast bem dinâmico sobre criatividade, entretenimento e comunicação. Participam cinco membros, que juntos já colocaram mais de 200 podcasts no ar, abordando temas atuais, de forma descontraída.

- Startapo: aqui discute-se tudo sobre startups, empreendedorismo e tecnologia: temas, conceitos, cases e tudo mais que envolve esse universo, desde assuntos mais básicos até os mais complexos.

Saiba quem é o novo consumidor

Não é preciso voltar tanto tempo para notar como o comportamento do consumidor tem mudado. As inovações tecnológicas cada vez maiores, a mudança nas formas de comunicação, a velocidade na transmissão de conteúdos, tudo isso tem afetado a forma como os consumidores se relacionam com as marcas hoje em dia.

Para entender melhor esse novo cenário, a SalesForce lançou no dia 15 de setembro - quando aqui no Brasil comemora-se o dia do consumidor - um infográfico com as "10 características do novo consumidor do Século XXI". Confira:

 

7 cursos online e gratuitos

7 cursos online e gratuitos

Em um mundo onde tudo muda e avança tão depressa, estar sempre atualizado é essencial para o sucesso de um empresário. O difícil pode ser o investimento para estar sempre por dentro de tudo. Nem sempre é possível pagar por todos os cursos e treinamentos que desejamos fazer.

Felizmente é possível encontrar na internet diversos cursos online e gratuitos para capacitar e melhorar os conhecimentos nas áreas mais variadas. Mas como garimpar os melhores? Para ajudar nesse processo, pesquisamos e trouxemos a lista abaixo para você:

- Empreendedorismo: da Espm, o curso tem como objetivo que o aluno adquira conhecimentos para reconhecer os fatores-chave para se tornar um empreendedor de sucesso e identificar as habilidades necessárias para uma verdadeira atitude empreendedora.

- Serviços a clientes: diferenciação da oferta: também da Espm, o curso busca capacitar o aluno a aplicar os conceitos teóricos e práticos de atendimento a clientes por meio do estabelecimento de estratégias de serviços e gestão do relacionamento com clientes/consumidores, com vistas à fidelidade e ao consequente aumento de vendas/resultados.

- Técnicas de vendas: outro curso da Espm, esse aborda temas como obter o máximo de informações do mercado, empresa, concorrentes, clientes e concorrentes de clientes, para entender as necessidades e, dessa forma, estruturar propostas que se adequem efetivamente a ele.

- Fundamentos da Gestão de TI: da FGV, o curso aborda diversos conceitos a respeito do papel da tecnologia nos negócios. É apresentado o conceito de empresa digital, o fenômeno da bolha da internet, também chamado de nova economia, o impacto social da revolução da nova economia, incluindo a chamada geração virtual ou geração V, além das principais tendências em tecnologia da informação.

- Análise Estruturada de Sistemas: antes de desenvolver qualquer sistema, é necessário fazer o levantamento de requisitos, identificar o fluxo de dados, elaborar modelos funcionais, entre outros procedimentos. Da Fundação Bradesco, o curso aborda desde o conceito de análise funcional até como construir listas de verificação (relacionadas à qualidade do software), ou seja, o aluno conhecerá todos os passos para desenvolver um sistema funcional e com qualidade.

- Fundamentos de COBIT: outra opção de curso da Fundação Bradesco, a proposta é apresentar como a estrutura do COBIT (do inglês, Control Objectives for Information and Related Technology) permite aplicar as melhores práticas de mercado para a gestão de riscos de TI e como é possível, por meio desta iniciativa, alcançar não só a excelência operacional, mas também estabelecer um modelo de governança que mantenha a área de TI integrada aos objetivos de negócio.

- Aprender a Empreender: do Sebrae, o curso é indicado pra quem quer abrir um negócio ou já possui um e quer aprimorar seu perfil empreendedor e conhecer sobre mercado e finanças.

Em todos esses links você poderá explorar outras opções de cursos, para diferentes necessidades.

Vai ficar mais fácil abrir uma empresa em São Paulo

Em pouco tempo será mais rápido e simples abrir uma empresa na cidade de São Paulo. Isso porque a partir do segundo semestre o município passará a integrar a Rede Nacional de Simplificação do Registro e Legalização de Empresas e Pessoas Jurídicas - conhecido como Redesim.

O que isso significa? Menos burocracia, menor tempo de espera, mais agilidade, mais empreendedorismo e um ambiente de negócios em São Paulo mais promissor.

A Prefeitura de São Paulo empreendeu os maiores esforços para que a cidade também possa ser reconhecida como um excelente ambiente de negócios, ao construir novos procedimentos necessários para que as empresas sejam abertas de forma eletrônica e integrada em um período médio de 5 a 10 dias.

O sistema cria um processo único de legalização das empresas, eliminando uma série de exigências burocráticas e arcaicas. Segundo a Receita Federal, "a integração da prefeitura de São Paulo à Redesim permitirá que em um único processo de abertura, alteração ou fechamento de empresas o empresário possa receber o registro na Jucesp, o CNPJ, a inscrição municipal e os alvarás de licenciamento estaduais e municipais, com objetivo de reduzir a quantidade e o tempo dos procedimentos". Empresas com atividades econômicas de baixo risco dispensam a entrega de documento e a liberação de alvará será automática, sem inspeção prévia. De acordo com Daniel Belmiro, coordenador-geral de Gestão de Cadastros da Receita, hoje, 90% das empresas que são abertas são consideradas de baixo risco.

A Redesim já está presente em outros cidades brasileiras. Nesses lugares, o tempo médio de abertura de empresas caiu para menos de 10 dias e algumas empresas que têm documentação totalmente digital têm seu processo de abertura concluído em menos de 48 horas.

5 palestras do TED para inspirar empreendedores

O TED é uma organização sem fins lucrativos que realiza palestra super inspiradoras, nas mas diversas áreas, e em mais de 100 idiomas. Começou em 1984 como uma conferência de Tecnologia, Entretenimento e Design, mas atualmente cobre praticamente todos os tópicos que você possa imaginar - de ciências e negócios à assuntos globais. Uma das características do TED é o formato das palestras - compactas, elas têm 18 minutos ou menos.

Separamos 5 palestras do TED para dar ótimos insights, conhecimento, e estimular os empreendedores. Confira:

 

Palestra 1: Por que grandes líderes fazem você se sentir mais seguro.

Para Simon Sinek, um grande líder é aquele por quem os funcionários sentem confiança - ou até adoração. Contudo, criar confiança e segurança - especialmente em uma economia desigual - significa assumir grandes responsabilidades. Simon Sinek é especialista em liderança e explora em seus livros e palestras como os líderes podem inspirar a cooperação, a confiança e a mudança.

 

Palestra 2: Crimes cibernéticos comuns - e o que você pode fazer sobre isso.

Hoje em dia qualquer empresa que esteja online pode ser alvo de crimes cibernéticos. Os criminosos são muito criativos, e estão sempre inventando novos jeitos de burlar os sistemas. Nessa palestra, James Lyne, especialistas em ciber segurança corporativa, ensina como estar um passo à frente e se proteger.

 

Palestra 3: Como dirigir uma empresa (quase) sem regras.

Se seu estilo de liderança estimula a autonomia da equipe, você irá gostar desse TED. O brasileiro Ricardo Semler fala sobre seu conceito de "democracia corporativa" para se criar um ambiente de trabalho que beneficie a todos. Ele repensa tudo, das reuniões da diretoria à como os empregados solicitam férias. É uma visão que reconhece a sabedoria dos funcionários e promove o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

 

Palestra 4: De onde as boas ideias vêm?

O autor e empreendedor Steven Johnson mostra, de um jeito fascinante, como uma atmosfera certa pode estimular grandes ideias. Os espaços coletivos - do 'network líquido' dos cafés à internet de alta velocidade - estimulam à inovação, que precisa de espaço e interações para acontecer.

 

Palestra 5: Resolvendo problemas de maneira criativa diante de limites extremos

Navi Radjou passou anos estudando o "jugaad", ou a inovação frugal. Lançado por empreendedores de mercados emergentes que descobriram como ter resultados espetaculares com pouquíssimos recursos, a prática tem sido adotada mundialmente. Radjou compartilha nesse TED três princípios de como conseguir mais com menos.

PME’s usam o poder da internet para crescer em meio à crise

PME’s usam o poder da internet para crescer em meio à crise

Apesar da crise, oito em cada dez empreendedores do setor de comércio eletrônico cresceram em 2015 em comparação à 2014. Esse é um dos dados revelados em uma pesquisa encomendada pelo MercadoLivre ao IBOPE CONECTA. A pesquisa aponta que a grande maioria dos empreendedores digitais está otimista em relação ao setor de e-commerce e às suas vendas.

Um terço dos 520 empreendedores entrevistados aposta em um crescimento do setor de mais de 25%; e dois terços em um crescimento de até 20%.

As razões apontadas para o crescimento do setor e de suas vendas são: aumento da penetração da internet no Brasil (72%); aumento da segurança e confiança no modelo de compra e venda online (63%); aumento de usuários de smartphones e tablets (58%).

Sobre as regiões do país com maior número de vendas no e-commerce, a pesquisa revelou o seguinte: em primeiro lugar está o Sudeste, com 75%; seguido pelo Nordeste 9%; Centro-Oeste 8%; Sul 6%; e Norte 2%.

As cinco categorias de produtos mais populares do setor são: Eletrônicos, Áudio e Vídeo (34%); Informática (27%); Acessórios para veículos (25%); Celulares e telefones (24%); Casa, Móveis e Decoração (15%).

Como se vê, apesar de muitos economistas terem sinalizado que o ano seria de recessão, há muitos mais empreendedores digitais confiantes do que o contrário. Como disse Laure Castelnau, diretora executiva do IBOPE CONECTA, “apesar de 2015 ser apontado por analistas como um ano de recessão e calmaria no mercado financeiro, encontramos nesta pesquisa empreendedores confiantes, voltados a gerar oportunidades de negócios que gerem crescimento”.

Com os consumidores cada vez mais aproveitando a internet para se relacionar com as marcas e consumir, e sabendo que a infraestrutura de um e-commerce demanda menor investimento físico e com pessoal, os empreendedores digitais estão aproveitando o poder da internet para crescer em meio à crise e avançar para novos mercados.

Apenas 12% dos entrevistados disseram que não preveem crescimento em 2015, e os motivos para eles são: a atual situação política e econômica do país, o aumento de impostos e tributos e a alta do dólar.

Por que cada vez mais PME’s estão indo para a nuvem

Por que cada vez mais PME’s estão indo para a nuvem

O cloud computing é um termo bastante conhecido já há uns bons anos. Contudo, ele era mais associado às grandes corporações. Para as pequenas parecia uma realidade ainda distante. Contudo, cada vez mais pequenas e médias empresas estão migrando seus negócios para a nuvem. No exterior isso já ocorre com bastante peso, e por aqui o movimento também está aquecido.

Isso não se dá por acaso. Hoje mais empresas oferecem serviços de cloud computing, o que vem tornando a tecnologia muito mais acessível. E essa acessibilidade permite que as PME’s possam competir melhor dentro de um mercado com tanta concorrência, onde quem não sai na frente (na adoção de novas tecnologias, por exemplo), acaba perdendo mercado.

Uma pesquisa da Deloitte revelou que as pequenas e médias empresas que estão com seus negócios na nuvem crescem 26% mais rápido do que aquelas que ainda não adotaram o cloud, e têm rendimentos 21% mais altos. Dentre as empresas pesquisadas, 85% disseram que acreditam que a nuvem ajuda suas empresas a crescerem mais rápido.

Em poucas palavras, o Cloud Computing é uma série de servidores remotos acessíveis na internet que permitem a difusão de comunicações e dados. A adoção do cloud proporciona não apenas redução de custos como também dá um gás na produtividade dos pequenos, médios e grandes negócios. Mas, o impacto nos pequenos e médios é mais significativo. Para eles, a nuvem realmente reduz, quando não elimina, o gasto com hardwares de alto custo. E isso faz total diferença, já que muitas vezes esses empresários trabalham com budgets bem mais limitados.

Pesa também a questão da flexibilidade. Com o modelo de trabalho ganhando novas formas (como o trabalho remoto e o home office, e a redução na infraestrutura), as soluções de comunicação oferecidas pela tecnologia na nuvem são capazes de atender as necessidades das rápidas transformações pelas quais as empresas estão passando.

Outra vantagem é o fim da papelada com a digitalização de documentos e a capacidade de a nuvem armazenar dados muito mais rápido quando comparamos a uma estrutura tradicional, com papéis e arquivos que demandam espaço físico e tempo de organização. Juntando-se ao fim da papelada, outro dado sustentável é a economia de energia: segundo estudo da KPMG, a economia é de 10% - com os custos de eletricidade crescendo por aqui, esse é sem dúvida outro fator de peso.

Uma pesquisa da Goldman Sachs trouxe outra informação relevante: a fatia dedicada à nuvem dentro do investimento total de TI nas empresas será de 11 % até 2018. Era pouco menos de 4% em 2013.

Com todo esse cenário, as PME’s que querem prosperar devem apostar sim na nuvem.

Novo ICMS dificulta vida de pequenas lojas virtuais, dizem tributaristas

Novo ICMS dificulta vida de pequenas lojas virtuais, dizem tributaristas

Divisão entre os estados obriga comerciantes a fazer cálculo complexo.

Pequenos varejistas do Simples terão mais dificuldade em adaptar-se.

Muitas empresas foram pegas de surpresa pela regra de partilha do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) entre os estados, em vigor desde o começo do ano. Pequenos negócios – especialmente os que atuam no comércio eletrônico e adotam o Simples Nacional – terão mais dificuldades em adaptar-se, avaliam tributaristas ouvidos pelo G1.

Pela nova regra, uma loja de São Paulo que vender vinhos nacionais pela internet para um consumidor do Piauí precisa agora dividir a arrecadação do imposto com o estado que recebe a mercadoria.

Motivo da partilha
Alguns estados com menos lojas de comércio eletrônico, especialmente no Norte e Nordeste, passaram a reclamar que a arrecadação do ICMS caiu devido à concorrência das empresas virtuais de outros estados, criando a chamada "guerra fiscal". O quadro se agravou com o boom de vendas online nos últimos anos.

O objetivo da medida, portanto, é tornar a partilha de impostos mais igualitária entre o estado que vende e o que consome. Mas essa divisão não é simples. “A maior dificuldade para as empresas é que o cálculo é muito complexo”, explica Mota.

A regra só vale para empresas que vendem para o consumidor final. Ou seja, pessoas físicas ou empresas prestadoras de serviços, como escolas e órgãos públicos, que não vão revender o produto que adquiriram.

O ICMS é cobrado sobre tudo o que se consome no país. É um dos que mais pesam no bolso do consumidor. Ele incide sobre produtos e serviços considerados essenciais, como telefonia e telecomunicações, e também os supérfluos, como cosméticos, bebidas alcoólicas e cigarro. O consumidor paga o ICMS embutido no preço do que compra.

O perfil dos shoppers brasileiros e o varejo

O perfil dos shoppers brasileiros e o varejo

O Connected Life, um estudo com mais de 60 mil usuários de internet de 50 mercados ao redor do mundo, é realizado pela TNS – empresa multinacional de pesquisa de mercado.

Em dezembro/2015 uma nova pesquisa global foi divulgada, revelando mudanças na natureza do varejo. Veja alguns números que o Connected Life revelou especificamente sobre os shoppers brasileiros:

* 88% dos shoppers no Brasil dizem que realizam algum tipo de pesquisa antes de fazer uma compra. No mundo, 84% dos shoppers fazem o mesmo.

* 68% dos shoppers brasileiros fazem essas pesquisas pré-compra off-line, comparado com 74% que fazem online. As pessoas com 16-24 anos consultam aproximadamente 4.9 fontes de informação na pesquisa pré-compra, enquanto o pessoal da faixa etária de 55-65 anos consulta 3.8 fontes.

* 77% dos shoppers brasileiros fazem pesquisa pré-compra para produtos de cuidados pessoais, tais como perfumes e cosméticos; 91% fazem pesquisa pré-compra para produtos de cuidados com bebês; e 69% para itens de higiene, tais como desodorantes e gel de banho.

* 53% dos shoppers no Brasil decidem sobre a marca que querem comprar antes de efetivar a compra. No mundo, são 51%. Apenas 10% dos brasileiros mudaram de ideia de última hora e compraram uma marca diferente da que haviam decidido.

* 38% dos consumidores brasileiros estão abertos à escolha de marcas ao começarem suas compras.

6 tendências de tecnologia para 2016 que devemos ficar de olho

6 tendências de tecnologia para 2016 que devemos ficar de olho

O blog da Social Media Week publicou uma lista com as tendências de tecnologia que devem mexer bastante com a relação entre marcas e consumidores no próximo ano – a lista é do CEO da 1871, Howard Tullman. Negócios, pequenos, médios ou grandes, não importa o tamanho, precisam estar de olho no que vem por aí para conseguir competir com força no mercado.

A maneira como as marcas interagem, engajam e vendem para os consumidores já vem mudando bastante nos últimos anos e esse cenário deve passar por ainda mais transformações, tanto culturais quanto tecnológicas, que irão impactar os negócios em 2016. Separamos para vocês as principais tendências da lista.

1- O tempo é o recurso mais escasso de todos

Vivemos correndo contra o relógio. Sejamos realistas: não conseguimos fazer tudo que precisamos que seja feito. Algumas marcas como Uber, Starbucks e Amazon já entenderam muito bem isso e estão criando formas inteligentes de pensar como o cliente e atender suas necessidades. Imagine se pudéssemos pagar nas lojas de roupas, por exemplo, do mesmo jeito que pagamos o Uber – isso nos pouparia tempo, e ainda otimizaria os processos de negócios. Além disso, já não é mais aceitável esperar dias pela resposta ou suporte de uma empresa. Hoje o razoável é que as organizações retornem em um prazo de 3-5 minutos – não para a Amazon, que está buscando formas de entregar produtos aos clientes antes mesmo de a compra ser efetuada. Como? Usando dados, métricas e muita tecnologia.

2- O consumidor quer ter controle total

Tullman faz uma comparação com os games: as pessoas decidem quando jogar, quanto jogar, e o que jogar. Consumidores querem as coisas nos seus próprios termos, preços e tempo, sem ter que pedir por nada disso. Para ele, os preços fixos irão morrer e no futuro produtos e serviços terão precificação flexível baseada em informações dos indivíduos, em conveniência, acessibilidade, tempo e intenção de compra.

3- Atenção é a nova moeda

Tudo está competindo pela nossa atenção e a todo momento somos obrigados a decidir o que ou quem merece tê-la. Marcas que querem atrair e reter mais olhares precisam se fazer perguntas que muitos consumidores se fazem: ‘seu negócio vai me poupar tempo?’, ‘vai me poupar dinheiro?’, ‘vai me fazer tomar melhores decisões?’, ‘vai melhorar meu status?’.

4- Contexto é mais importante que conteúdo

Como Tullman disse “não importa o que você está dizendo se eu não estiver escutando”. Na internet, onde a consistência vale muito para os usuários, o contexto triunfa sobre o conteúdo. Esse ‘alcance inteligente’ é personalizado para as pessoas na hora certa, no lugar certo e com a mensagem certa. Seria como alguém dizendo: ‘você tem que me alcançar, a mensagem deve mudar minha atitude, e principalmente meu comportamento’.

5- Um mundo de conexão constante

Para o bem ou para o mal, estamos constantemente conectados. Só no Facebook são mais de 1 bilhão de pessoas ativas mensalmente, e isso nos diz muito sobre o mundo de hoje, sobre como a tecnologia, a mídia e as interações entre as pessoas têm se transformado. Uma pessoa acessa seu smartphone mais de 160 vezes por dia, nossos carros estão cada vez mais conectados, e nossos celulares deixam infinitos rastros de

dados e informações por onde passamos. A Disney tem as Magic Bands (pulseiras mágicas) que podem ser usados no parque, para fazer compras, abrir a porta do quarto do hotel, além de dizer ao Mickey, Pateta e outros personagens da Disney o nome dos seus filhos, de onde eles são, do que eles gostam, tudo isso em poucos segundos antes de pedirem por uma foto. Incrível e assustador, não é mesmo?

6- Mensagens triunfam sobre e-mails

Mensagens via celular são simples e práticas. Whatsapp, Messenger, Snapchat, e outras plataformas simplificaram a comunicação, e ainda tornaram nosso dia-a-dia mais produtivo (e isso retoma o primeiro item dessa lista). O Facebook já está pensando nisso: estão testando inteligência artificial no Messenger, ainda para um pequeno grupo de usuários – com a assistente digital apelidada de “M”, que pode completar tarefas para o usuário, fazer compras e reservas em hotéis ou restaurantes, organizar viagens, compromissos, e muito mais.

Conclusão: o mundo está mudando, e as empresas precisam mudar com ele.

7 páginas que todo empreendedor deveria seguir no Facebook

7 páginas que todo empreendedor deveria seguir no Facebook

Não é nada difícil passar horas navegando no feed de notícias do Facebook. Além de posts de interesse pessoal, há muito material para profissionais de qualquer área. Inclusive notícias voltadas para o empreendedorismo. Por isso separamos aqui sete páginas que, se você ainda não conhece, deveria começar a seguir agora.

1- Startupi

O Startupi nasceu em 2008 para construir o ecossistema brasileiro de startups, agregar conhecimentos-chave e inspirar a todos que tem espírito inovador. A organização conta com uma base de conhecimento, atualizada com informações do mercado, que combina inovação, tecnologia, negócios, empreendedorismo e investimentos.

2- Bel Pesce

Considerada pela revista Época uma das "100 Pessoas Mais Influentes do Brasil", um dos 30 jovens mais promissores do Brasil pela revista Forbes, e também um dos 10 líderes mais admirados pelos jovens pela Cia de Talentos, Bel Pesce é fundadora da escola FazINOVA e autora de três livros: A Menina do Vale, Procuram-se Super-Heróis e A Menina do Vale 2. Antes de fundar a FazINOVA, Bel trabalhou no Vale do Silício e estudou no renomado MIT.

3- Sebrae

Criado em 1972, o Sebrae estimula o empreendedorismo e promove a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios no Brasil.

4- Start-up Brasil

O Startup Brasil – Programa Brasileiro de Aceleração de startups – é uma iniciativa do governo federal, criado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Apoia projetos na área de TI que sejam inovadores.

5- Geração de Valor

O fundador do GV, Flávio Augusto da Silva, acredita que o empreendedorismo deveria ser matéria básica na escola. Foi eleito pela Arata Academy o melhor educador de empreendedorismo em 2013. Em 2014, foi relacionado como um 4º líder mais admirado do Brasil e o 8º líder mundial mais admirado, numa pesquisa realizada com mais de 50 mil jovens pela Cia de Talentos.

6- Endeavor Brasil

Presente em mais de 18 países, e no Brasil desde o ano 2000, a Endeavor atua em diversas frentes para alcançar o objetivo de construir um Brasil não apenas com mais empreendedores, mas com empreendedores melhores e mais conscientes do seu papel na sociedade.

7- TED

TED é uma organização sem fins lucrativos dedicada a disseminar ideias, geralmente na forma de vídeos curtos com apresentações impactantes nas mais variadas áreas – de ciências à negócios, passando por psicologia. Os vídeos costumam ter no máximo 18 minutos e existem em mais de 100 idiomas. Seu lema é “ideias que merecem ser disseminadas”. As palestras do TED são muito assistidas por empreendedores.

Mais de 50 atividades em setembro voltadas a empreendedores

Mais de 50 atividades em setembro voltadas a empreendedores

Não importa se você é dono de um pequeno negócio, uma startup ou uma franquia: conhecimento é fundamental para seu empreendimento. Para quem sente que alguma área da empresa não vai bem por causa da falta de informação, cursos, eventos, workshops e congressos podem ser úteis.

Por isso, selecionamos mais de 50 atividades voltadas especificamente para quem é empreendedor, sejam elas gerais ou voltadas a um setor específico. Confira:

1. VI Salão de Franquia

O evento, realizada pela Dubnet, tem como temas "Soluções para momentos de crise". O evento acontece no dia 2 de setembro, em São Paulo. Os interessados em participar do VI Salão de Franquia podem se inscrever pelo site ou pelo e-mail contato@salaodefranquia.com.br. O evento é gratuito e as vagas são limitadas.

2. A Primeira Parada

O workshop organizado pela empresa de coaching UM% ocorre no dia 2 de setembro, em São Paulo. Durante quatro horas, são abordados os conceitos de “Espírito de Atleta”, “Modelos Mentais”, “Desafios da Vida”, “Quem Somos Nós”, “Como Funcionamos”, “As 3 Decisões Mais Importantes” e “O papel da gratidão na busca pela felicidade”. A metodologia usada na atividade se chama S.T.O.P: "stepback, think, organize andproceed" ("dê um passo para trás, pense, organize e prossiga). O investimento é de 288 reais e a inscrição pode ser feita por este link.

3. Afiliados Brasil Rio de Janeiro

O congresso, criado pelo Instituto Brasileiro de Marketing de Afiliados, falará sobre empreendedorismo digital, focado em uma das ramificações do setor, o marketing de afiliação. O evento acontece nos dias 24 e 25 de setembro. O custo é de 367 reais e as inscrições podem ser feitas pelo site.

4. Amcham Business Day Campinas

Maior feira multissetorial de negócios e relacionamento da região de Campinas, o evento da Câmara Americana de Comércio tem expectativa de reunir mais de mil empresários e executivos interessados em ampliar contatos comerciais e rede de fornecedores e divulgar produtos e serviços. O evento acontece no dia 17 de setembro, em Salvador (Bahia). As inscrições podem ser feitas pelo site. O custo é de 100 reais para não-sócios e gratuito para sócios.

5. Brand Publishers: conteúdo estratégico para marcas

As aulas, organizadas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), oferecem um panorama do comportamento de consumo e da comunicação no mundo contemporâneo, onde o novo modelo de negócios precisa se basear em produção, e não em mídia, a partir do conceito da “economia da atenção”. A carga horário é de 45 horas. O curso começa no dia 29 de setembro e se estende por outubro e novembro. O investimento é de 2 parcelas de 1.228 reais.

6. Capacitação para o Black Friday Legal

A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, em parceria com a Braspag, gateway de pagamento do grupo Cielo, pretendem mostrar às empresas como elas podem adaptar suas lojas virtuais à legislação brasileira do e-commerce e preparar seu negócio para a Black Friday. A atividade contará com palestra sobre planejamento, logística, meios de pagamentos e marketing digital e é gratuita. O evento acontece no dia 24 de setembro e as inscrições abrem no dia 17. É possível se inscrever no site e assistir online.

7. CEO Fórum Fortaleza

O principal evento de lideranças empresariais da Câmara Americana de Comércio em Fortaleza ganha a segunda edição, debatendo a “Gestão de talentos e produtividade em tempos de crise”. O evento acontece no dia 23 de setembro. As inscrições podem ser feitas pelo site. O custo é de 100 reais para não-sócios e gratuito para sócios.

8. CEO Fórum Salvador

O encontro de lideranças empresariais discutirá como adotar novos modelos de negócio para enfrentar o cenário de crise e potencializar a competitividade de produtos e serviços. O evento é organizado pela Câmara Americana de Comércio e acontece no dia 17 de setembro. As inscrições podem ser feitas pelo site. O custo é de 500 reais para não-sócios e de 250 reais para sócios.

9. Choice UP

O evento gratuito de pré-aceleração é realizado pela Artemisia e voltado a empreendedores com até 30 anos. A proposta é que, em apenas duas semanas, os empreendedores possam avaliar o modelo de negócio, trabalhar para suprir as principais lacunas e sair da formação com um mapa dos próximos passos. O evento está programado para os dias 26 e 27 de setembro e 10 de outubro, e ocorrerá simultaneamente em São Paulo e no Rio de Janeiro. As inscrições podem ser feitas até de 1º a 20 de setembro pelo site.

10. Ciclo Sustentabilidade para PME´s

O ciclo tem como objetivo fortalecer o conhecimento e as práticas de PMEs com relação à inserção da sustentabilidade em seus negócios. O evento, gratuito, acontece em Curitiba (Paraná), no dia 3 de setembro. As inscrições vão até o preenchimento das vagas e podem ser feitas pelo site.

11. Como aumentar lucros no cenário atual brasileiro

As cidades de Catanduva e Barretos contarão com o palestrante Éber Feltrin, gestor do grupo SIS - Consultoria em Estratégias de Negócios, para falar sobre o tema. O evento, organizado pela DVI Radiologia. acontece nos dias 21 de setembro e 22 de setembro, respectivamente. As inscrições podem ser feitas nos e-mails cat@dviradiologia.com.br (Catanduva) e bar@dviradiologia.com.br (Barretos).

12. Como importar legalmente do Paraguai

A palestra pretende orientar empreendedores de microempresas e também os individuais sobre como importar legalmente do Paraguai com o novo regime de tributação única. A atividade, organizada pelo Sebrae de São Paulo, ocorre no bairro da Aclimação no dia 17 de setembro. Os telefones para inscrições são 0800 570 0800 e (11) 3253-2121.

13. Comunicação Eficiente, Resultados Eficazes

O curso, ministrado pela consultora e mentora da Endeavor Kátia Campelo, pretende apresentar como se realiza uma construção de discurso no mundo de negócios. As inscrições estão abertas até dia 25 de setembro e podem ser feitas pelo telefone 21 2252-6037 ou pelo e-mail contato@katiacampelo.com.br. O curso tem duração três meses e vai de 30 de setembro até 23 de dezembro.

14. Conexão Empresarial

O evento terá como tema central inovação e empreendedorismo, especialmente em tempos de crise, com a participação de empresários renomados de todo o Brasil para troca de experiências e apresentações de cases de sucesso, junto a uma mesa de debates e palestras voltadas para o empreendedor. A atividade será realizada no dia 15 de setembro, em Alphaville (São Paulo). O custo é de 250 reais por pessoa e as inscrições podem ser feitas pelo site.

15. Congresso Nacional das Relações Empresa-Cliente

O Conarec reúne as principais lideranças do Brasil para discutir as melhores práticas de relacionamento com clientes e consumidores.O evento acontece nos dias 1º e 2 de setembro, em São Paulo. O evento trará apresentações sobre como utilizar a inovação para criar valor para clientes, empresas e para a sociedade. As inscrições podem ser feitas pelo site e o custo é de 3,5 mil reais.

16. Controle seu estoque e não perca dinheiro

A palestra visa sensibilizar o empreendedor para a importância da administração de estoques como o fator de lucro e orientá-lo para o uso de ferramentas e praticas que levam a otimização do manuseio e armazenamento de materiais. O evento, organizado pelo Sebrae de Sâo Paulo, ocorre no bairro da Aclimação no dia 15 de setembro. As inscrições são gratuitas, pelos telefones 0800 570 0800 e (11) 3253-2121.

17. DeepDive San Francisco

O polo de inovação Porto Digital e a Apex-Brasil irão promover a imersão de seis empresas do polo pernambucano no Vale do Silício. O principal objetivo do programa é construir capital intelectual e social a partir da experiência vivenciada pelos empreendedores. Tanto empresas de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) e Economia Criativa são elegíveis para o programa. As inscrições vão até 13 de setembro, pelo site, e o resultado sai dia 19 de novembro. A ideia é que o período de imersão vá de 11 de janeiro de 2016 a 4 de março de 2016.

18. Demoday 2015

O evento tem o objetivo de startups inovadoras apresentarem seus modelos de negócios para investidores que procuram alavancar negócios. A atividade acontecerá no dia 30 de setembro, na Incubadora de Empresas da COPPE/UFRJ. A inscrição é gratuita e pode ser feita pelo e-mail ray@inc.coppe.ufrj.br.

19. Discovery Day

Organizado pelo Grupo Zaiom, o workshop semestral tem por objetivo informar empreendedores interessados em montar uma empresa no segmento de reforço escolar, cuidadores de pessoas, estética, beleza, reparos, manutenção, jardinagem e paisagismo. As atividades acontecerão nos dias 4 ou 11 de setembro, dependendo da rede de franquia. Os interessados em participar devem se inscrever gratuitamente até a véspera dos eventos pelos links dos workshops na Dr. Faz Tudo, Dr. Jardim, Home Angels, Home Depil e Tutores.

20. EMPRETEC

A palestra, organizada pelo Sebrae de São Paulo, apresenta a metodologia Empretec, desenvolvida pela Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo é desenvolver as características de comportamento empreendedor e ampliar as habilidades de administração do seu negócio.O evento ocorrerá na sede Capital Leste I da instituições, em datas que vão do dia 2 ao 28. Inscrições pelos telefones 0800 570 0800 e (11) 2225-2177, gratuitas.

21. Encontro de Marketing Digital

O evento da Câmara Americana de Comércio pretende discutir a reinvenção do marketing, combinando o uso de tecnologias, databases e automação de sistemas com as operações tradicionais. O evento acontece no dia 11 de setembro, em São Paulo. As inscrições podem ser feitas até as 12h do dia anterior, pelo site. O custo é de 300 reais para não-sócios e gratuito para sócios.

22. Encontro de Startups

Moderado pelo professor do Insper Marcelo Nakagawa, o evento da Câmara Americana de Comércio vai reunir gestores de startups que estão em diferentes fases do negócio. Eles vão contar seus cases e trocar informações sobre os desafios dos projetos, como o preparo para a busca de investimentos. O evento acontece no dia 22 de setembro, em São Paulo. As inscrições podem ser feitas até as 12h do dia anterior, pelo site. O custo é de 300 reais para não-sócios e gratuito para sócios.

23. Encontro Sobre Diversidade nas Empresas

Organizada pela Câmara Americana de Comércio, a atividade vai reunir especialistas e executivos para debater como iniciar programas de diversidade nas companhias. O evento acontece no dia 3 de setembro, em São Paulo. As inscrições podem ser feitas até as 12h do dia anterior, pelo site. O custo é de 300 reais para não-sócios e gratuito para sócios.

24. Expo Franchising ABF RIO 2015

A feira de franchising organização pela Associação Brasileira de Franquias A(BF) acontecerá do dia 1º a 3 de outubro no Rio de Janeiro, mas os ingressos serão vendidos neste mês pelo site, por 45 reais. O evento trará opções de franquias de diversos segmentos (educação, alimentação, limpeza, reparos, beleza, microfranquias etc.) para os mais variados perfis de empreendedores e investimento.

25. FastDating Tecnisa movePro

O evento, organizado pela empresa digital movePro, tem como objetivo convocar as startups para apresentar soluções e projetos para a empresa imobiliária Tecnisa. Ideias, produtos e serviços de empreendedores que possam ser aproveitados em áreas como marketing, comunicação, vendas, tecnologia, P&D, novos negócios e ambientes digitais serão selecionados. O evento ocorre no dia 16 de setembro, em São Paulo. As inscrições vão até o dia 11, por este site.

26. Formação em Coaching - Líder Coach

O workshop é direcionado para aqueles interessados em aprender sobre coaching. Em seis dias de curso, o participante aprende conhecimentos sobre desenvolvimento pessoal e profissional, além de técnicas de liderança e gestão. A atividade segue a metodologia S.T.O.P e acontece nos dias 18, 19 e 20 de setembro e nos dias 13, 14 e 15 de novembro, em São Paulo. O custo é de 7.890 reais e as inscrições podem ser feitas no link.

27. Fórum de Debates da Associação dos Profissionais de Propaganda (APP)

No evento, os palestrantes mostrarão como a propaganda é uma das raras atividades da economia que permite às empresas e suas marcas darem grandes saltos no mercado. O Fórum ocorre no dia 29 de setembro, em São Paulo. As inscrições custam 140 reais para não-associados à APP e são gratuitas para associados. Inscrições podem ser feitas pelo site, pelo telefone (11) 3813-0188 ou pelo e-mail atendimento@appbrasil.org.br.

28. Fórum Empresarial de Serviços

A atividade pretende apresentar algumas das principais inovações e tendências existentes no mercado de serviços na atualidade, com o lançamento do Projeto Beleza & Estética. O evento ocorre no dia 21 de setemebro, no Sebrae de São Paulo, e é gratuito. Informações e inscrições pelos telefones : 0800 570 0800 e (11) 2225-2177.

29. Gestão de Franquias em Tempos de Crise

A palestra gratuita, organizada pelas empresas ba}STOCKLER, Ação Educação Empreendedora e Make It Work, acontecerá no dia 10 de setembro, em São Paulo. As inscrições vão até o dia anterior à palestra, por meio do formulário.

30. Gestão de Vendas

O curso do Sebrae de São Paulo pretende ajudar o empresário a entender os benefícios da gestão estratégica de vendas, conhecendo o perfil do cliente, preparando melhor a equipe e adotando uma postura favorável para melhores resultados. A atividade ocorre no dia 14 de setembro, no bairro da Aclimação. O custo é de 240 reais e as inscrições são feitas pelos telefones 0800 570 080 e (11) 3253-2121.

31. INBOUND MARKETING – Marketing de atração como estratégia de Mercado

O evento falará do marketing de atração como estratégia de mercado. Quatro especialistas esclarecerão as dúvidas dos empreendedores sobre o tema e falarão das principais tendências do mercado. A atividade será realizada no dia 19 de setembro, em Vitória (Espírito Santo). Para o primeiro lote, o ingresso é de 100 reais e as inscrições podem ser feitas pelo site.

32. Incubação de Empresas pela COPPE/UFRJ

A incubadora da Universidade Federal do Rio de Janeiro está abrindo inscrições para seu processo de seleção de empreendimentos. O foco será em ideias na área de tecnologia e inovação. As propostas apresentadas deverão atender a critérios como grau de inovação do produto ou serviço, potencial de interação com a UFRJ e viabilidade técnica e econômica. O período para se inscrever vai de 1º de setembro até 21 de outubro. É preciso entrar no site e agendar uma entrevista através do telefone (21) 3733 1951.

33. Incubação do Instituto Gênesis da PUC-Rio

O Instituto Gênesis, da PUC-Rio, está selecionando empresas para incubação e pré-incubação. O processo que pode durar de seis meses a três anos, dependendo do grau de maturidade empresarial de cada projeto. As inscrições vão até dia 11 de setembro, pelo site.

34. Indicadores de resultados financeiros

A palestra do Sebrae de São Paulo aborda a importância da consistência dos indicadores de resultados, que permitem a tomada de decisões de forma mais segura. O evento é gratuito e ocorre no bairro da Aclimação, no dia 23 de setembro. Os telefones para inscrição são 0800 570 0800 e (11) 3253-2121.

35. Maratona de Consultorias

O Sebrae promove em Itaquera, em São Paulo, atendimento nos dias 9, 10 e 11 de setembro. Os plantões levarão orientação individual e gratuita nas áreas jurídica, de marketing, administração e finanças. É preciso chegar no escritório regional Capital Leste 2 entre 8h30 e 18h.

36. Música & Negócios: Empreendedorismo e Inovação

O curso da PUC-Rio oferece 24 encontros com executivos de gravadoras, empresários, produtores musicais, especialistas em marketing digital, eventos, direitos autorais e novas tecnologias, além de mestres e doutores, que oferecem uma reflexão sobre o setor cultural e uma oficina ao longo do curso sobre modelos de negócios. O curso começa no dia 15 de setembro e se estende por outubro e novembro, com 72 horas de duração. O valor é de 3 parcelas de 990 reais.

37. Na Medida: gestão financeira

O curso é direcionado para aqueles que querem aprender as melhores práticas para cuidar do caixa, administrar custos e despesas da sua empresa, conquistando resultados que promovam melhorias. As aulas acontecem no Sebrae de São Paulo, unidade Capital Leste I, do dia 21 ao 25 de setembro, pela manhã. O custo é de 260 reais e as inscrições podem ser feitas pelos telefones 0800 570 0800 e (11) 2225-2177.

38. Na medida: tributação

A palestra do Sebrae de São Paulo quer ajudar o empresário a entender, discutir e descobrir o porquê de seus impostos como calculá-los. A atividade ocorre em Aclimação (São Paulo) no dia 3 de setembro e é gratuita. Os telefones para inscrições são 0800 570 0800 e (11) 3253-2121.

39. O futuro do comércio NRF 2015

A Retail’s Big Show, da NRF (NationalRetailFederation), em Nova Iorque, é a maior exposição comercial do mundo e trouxe as principais tendências para o varejo. O Sebrae de São Paulo apresentará, no dia 12 de setembro, as soluções mais inovadoras que foram destaque na feira. O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas nos telefones 0800 570 0800 e (11) 2225 2177.

40. Oficina virtual de assessoria empresarial em práticas inovadoras

A atividade, organizada pelo Núcleo de Empreendedorismo & Inovação da UniCarioca, pretende apoiar estudantes nas práticas de gestão e apoiar empresários no aconselhamento de práticas inovadoras. O enfoque estará tanto na abertura de um novo negócio como na gestão de negócios já existentes. O curso é gratuito e as inscrições podem ser feitas a partir de 14 de setembro pelo e-mail nuei@unicarioca.edu.br. A oficina será dada do dia 28 de setembro até 20 de novembro.

41. OPN - Oficina de Planejamento de Negócios

Organizada pelo Instituto Gênesis da PUC-Rio, a oficina pretende ajudar na orientação e planejamento de negócios inovadores. Os temas abordados serão inovação e geração de negócios, concepção e modelagem, atitude empreendedora, lean startups, estratégia de produtos e serviços, marketing, financeiro, aspectos jurídicos, formação e gestão de times, captação de recursos e alianças estratégicas, pitching e demo day. O curso começa no dia 10 de setembro e se estende até dezembro. A carga horário é de 51 horas e o custo é de 4 parcelas de 774 reais.

42. Os Desafios da Primeira Gerência: Autoconhecimento, Reflexão e Prática

O workshop, com foco em empreendedorismo, dá consultoria para líderes no começo de carreira. Com foco na discussão sobre o papel do líder nos tempos atuais, o curso apresenta temas como responsabilidade e autoridade, liderando com conflitos, engajamento de colaboradores e a tomada de decisões estratégicas. A atividade é organizada pela consultoria PlanoGestão e ocorre em Campinas (São Paulo), no dia 30 de setembro. As inscrições podem ser feitas pelo site e o custo é de 390 reais.

43. Personal & Professional Coaching (PPC)

O curso de formação em coaching é voltado tanto para profissionais que buscam se tornar empreendedores e trabalhar como autônomos quanto por executivos que querem aplicar a metodologia para maximizar resultados de sua empresa ou melhorar sua performance como líderes. Em São Paulo, a atividade acontece entre os dias 3 e 6 de setembro. No Rio de Janeiro, entre 4 e 6 de setembro. Em Manaus, entre 11 e 13 de setembro. Em Brasília, entre 18 e 20 de setembro. As inscrições são feitas pelo telefone (11) 3775-5333 e mais informações estão no site. O valor do curso é de 12 parcelas de 550 reais.

44. Plug.co & StartupsStars | Palestra, Cerveja e Networking

A atividade, organizada pelo StartupsStars (blog independente de startups do país) e pelo espaço de coworking Plug.co, será composta por uma palestra de Oportunidades Digitais, com a empreendedora e mentora Talita Lombardi. O evento é gratuito e ocorre no dia 18 de setembro, em São Paulo. Inscrições pelo site.

45. Saiba como fazer marketing de serviços

A palestra do Sebrae de São Paulo visa orientar o empresário sobre os principais conceitos e benefícios do marketing de serviços. A atividade é gratuita e ocorre em Aclimação (São Paulo), no dia 3 de setembro. Os telefone para inscrições são 0800 570 0800 e (11) 3253-2121.

46. Saiba como importar

Organizada pelo Sebrae de São Paulo, a palestra visa orientar os participantes sobre aspectos administrativos, aduaneiros e cambiais e propiciar o uso de ferramentas para planejamento e controle de atividades de importação. O evento ocorre no dia 2 de setembro, em Aclimação (São Paulo), e é gratuito. Os telefones para inscrições são 0800 570 0800 e (11) 3253-2121.

47. Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos

As startups e PMEs serão responsáveis por novidades em bicicletas elétricas, veículos para pessoas com necessidades especiais, skates, patinetes, peças e acessórios no Salão de Veículos Elétricos, que acontece em São Paulo nos dias 24, 25 e 26 de setembro. A entrada é gratuita e as inscrições podem ser feitas pelo site.

48. Semana do Empreendedor

Acontece nos dias 15 a 17 de setembro, no campus de São Caetano do Sul do Instituto Mauá de Tecnologia, a Semana do Empreendedor. As palestras serão voltadas para o setor de finanças, abordando temas de economia e administração. Qualquer pessoa interessada poderá participar gratuitamente, por inscrição no site.

49. Seminário de Agronegócios

Realizado em Uberlânda, o encontro da Câmara Americana de Comércio vai abordar os impactos, desafios e tendências tecnológicas voltadas para empreendedores da cadeia de agronegócio. O evento acontece no dia 3 de setembro. As inscrições podem ser feitas até o dia anterior, pelo site. www.amcham.com.br/acontece O custo é de 140 reais para não-sócios e gratuito para sócios.

50. Seminário Relações Trabalhistas

Realizado pela Câmara Americana de Comércio no Recife (Pernambuco), o evento irá debater a modernização das relações trabalhistas com a visão de empreendedores e especialistas. As vantagens e desvantagens da adoção da terceirização e dos acordos coletivos estão entre os temas. O Seminário acontece no dia 24 de setembro e as inscrições podem ser feitas pelo site. O custo é de 120 reais para não-sócios e de 60 reais para sócios.

51. Service Design Doing: Essentials

O curso de Design Thinking acontecerá na Laje, iniciativa da agência Ana Couto Branding para oferecer cursos, palestras e workshops. O Service Design Doing: Essentials é voltado para profissionais que buscam criar ou melhorar as experiências do seu cliente, criar novos serviços ou implementar o Design de Serviços em suas empresas. Com 3 dias de programação intensiva, o curso acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de setembro, no Rio de Janeiro. O custo é de 5,7 mil reais e mais informações estão no site.

52. Sessão de Negócio – PETSHOP

O evento tem por objetivo ser instrumento de estimulo e fomento de negócios, estabelecendo o fortalecimento dos pequenos negócios do setor de prestação de serviços do segmento de Petshop. As empresas terão até dois minutos para apresentar sua demanda ou oferta de produtos e/ou serviços. A sessão ocorre no dia 14 de setembro, no Sebrae de São Paulo. O investimento é de 50 reais por empresa e as inscrições podem ser feitas pelos telefones 0800 570 0800 e (11) 2225-2177.

53. Site Empresarial

A palestra visa orientar empresários sobre procedimentos fundamentais para fazer negócios pela internet e mostrar a importância do plano de negócios para empreendedores que buscam na internet uma alternativa de negócio. O evento do Sebrae de São Paulo ocorre no dia 10 de setembro, no bairro da Aclimação. Os telefones para inscrições são 0800 570 0800 e (11) 3253-2121.

54. Social Media Week São Paulo 2015

O evento de mídias sociais contará com cerca de 100 atividades, entre palestras e debates. A atividade será realizada na semana de 14 a 17 de setembro, no Museu de Imagem e Som (MIS), em São Paulo. Para se inscrever, o participante precisaacessar a programação e escolher a palestra que deseja se inscrever. O preço é de 10 reais.

55. Supera Incubadora de Empresas

A incubadora de Ribeirão Preto (São Paulo) está procurando novas empresas até o dia 11 de setembro. São nove vagas: 3 de pré-incubação, 3 de incubação e 3 de associação. As áreas prioritárias são biotecnologia, medicina humana e veterinária, equipamentos e materiais de uso médico, hospitalar e odontológico, tecnologia da informação e química. É possível se inscrever pelo site.

56. Transforme sua ideia em modelo de negócios

O curso, organizado pelo Sebrae de São Paulo, ensina sobre o modelo de negócios Canvas, que é uma ferramenta de gerenciamento estratégico, que permite desenvolver e esboçar modelos de negócios novos ou existentes com base em nove aspectos: proposta de valor, segmentos de clientes, canais, relacionamento com clientes, fontes de receitas, recursos principais, atividades principais, parcerias-chave e estrutura de custos. A oficina acontece nos dias 15, 16 e 17 de setembro e o valor é de 190 reais. As inscrições podem ser feitas pelos telefones 0800 570 0800 e (11) 2225-2177.

57. Workshop Gestão de Indicadores

Realizado em Porto Alegre (Rio Grande do Sul), o workshop da Câmara Americana de Comércio irá enfatizar como criar uma cultura de alta performance e de gestão através de indicadores e métricas. O evento acontece no dia 15 de setembro. As inscrições podem ser feitas pelo site. O custo é de 1.090 reais para não-sócios e de 750 reais para sócios.

Fonte: Exame

3 mudanças que podem dar uma guinada no varejo

3 mudanças que podem dar uma guinada no varejo

O varejo é responsável por criar um em cada quatro empregos no mercado brasileiro. Segundo a Pesquisa Anual de Comércio (PAC), do IBGE, o comércio tem R$ 2,4 trilhões de receita operacional líquida. É neste mercado que estão algumas das maiores empresas privadas do país e também alguns desafios para o crescimento. A agenda do varejo brasileiro foi o tema de um painel durante a BRWeek, evento do setor que aconteceu em São Paulo.

Nelson Felipe Kheirallah, vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo, Honório Pinheiro, presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojista (CNDL), Fabíola Xavier, diretora executiva do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV), Glauco Humai, presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) e Marcelo Maia, secretário de comércio e serviços no Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior participaram do debate.

Para os convidados, existem três mudanças que poderiam facilitar a vida do empreendedor varejista: flexibilização da legislação trabalhista, simplificação da carga tributária e facilidade no acesso ao crédito.

1. Jornada “flex”

Uma das demandas dos varejistas é a flexibilização da jornada de trabalho. Segundo Pinheiro, um grupo está discutindo com o governo condições especiais para empresas do comércio. “Um grupo de representantes de algumas das nossas atividades está em Brasília com uma pauta que está sendo tratada há décadas que é tentar diminuir a idade para que se possa entrar no mercado de trabalho. Temos ainda a modernização da legislação trabalhista, horários especiais e condições diferentes para as diversas atividades do varejo”, diz. A proposta é que os funcionários possam trabalhar conforme a demanda do estabelecimento, com remuneração proporcional.

2. Simplificação

Existem dois projetos em discussão no governo que poderiam facilitar a vida dos comerciantes: a mudança do ICMS e da PIS/Cofins. “Estamos em um período de ajuste fiscal e não adianta tampar o sol com a peneira. Mas alguns temas são fundamentais, como a simplificação tributária. Desburocratizar as normas tem sido um grande desafio para nós. Outra questão é a ampliação da lei do ICMS. É importante resolver o arcabouço entre as alíquotas estaduais. Temos como política procurar mitigar as desigualdades regionais”, afirma Maia, do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Regras mais simples facilitariam a vida da pequena empresa. “O pequeno sofre mesmo estando no Simples. Todo mês ele é obrigado a entregar 73 documentos diferentes ao governo. Uma legislação simplificada resolveria tudo”, diz Kheirallah.

“Todo dia tem uma regra nova que impacta diretamente na operação, tanto em loja física quanto no comércio eletrônico, inviabilizando negócios. Falta bom senso e não é simples simplificar”, afirma Fabíola.

3. Acesso ao crédito

Outra demanda das entidades é facilitar o acesso ao crédito, especialmente para o médio empresário. “Ser um médio empresário do comércio no Brasil é muito difícil. Ele não é

assistido por vários projetos. Os bancos de desenvolvimento chegam aos pequenos e aos grandes, os médios pagam o preço, com toda uma carga de burocracia, de complicação de recolhimento e nível de exigências”, diz Pinheiro.

Para Humai, da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), o crédito precisa ser atraente para permitir que os negócios cresçam. “Falta acesso a crédito viável e sustentável. Não adiante ter crédito exorbitante e impagável que inviabiliza a expansão dos negócios”, diz.

Fonte: PEGN

e-Social passará a ser obrigatório para alguns empregadores

O uso do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, o eSocial, por empregadores começará a ser obrigatório somente a partir de setembro de 2016. Mas esse prazo vale apenas para empregadores que registraram em 2014 faturamento superior a R$ 78 milhões.

Os demais empregadores só devem cumprir a exigência em 2017. A determinação consta de resolução do Comitê Diretivo do eSocial, formado pelos ministérios da Fazenda, Previdência Social, Trabalho e Emprego e da Micro e Pequena Empresa.

O sistema vai unificar o envio de informações pelo empregador ao governo em relação aos seus empregados. Instituído por decreto em dezembro do ano passado, o eSocial padroniza a transmissão, validação, armazenamento e distribuição de dados referentes às obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas dos funcionários.

De acordo com a resolução, os empregadores com faturamento acima de R$ 78 milhões devem começar a utilizar o novo sistema em setembro de 2016.

Esse cronograma, no entanto, não abrange todas as informações que devem ser prestadas por esses empregadores. A transmissão dos dados sobre ambientes de trabalho, acidente de trabalho, monitoramento da saúde do trabalhador e condições ambientais do trabalho só será obrigatória via eSocial a partir de janeiro de 2017.

Os demais empregadores, não classificados nesse limite de faturamento, só estarão obrigados a usar o eSocial a partir de janeiro de 2017, para informações gerais, e a partir de julho do mesmo ano para os dados sobre ambiente e acidentes de trabalho e saúde do trabalhador.

"Aquele que deixar de prestar as informações no prazo fixado ou que as apresentarem com incorreções ou omissões ficará sujeito às penalidades previstas na legislação", avisa a resolução. "A prestação das informações ao eSocial substituirá, na forma e nos prazos regulamentados pelos órgãos integrantes do Comitê Gestor do eSocial, a entrega das mesmas informações em outros formulários e declarações a que estão sujeitos os obrigados ao eSocial", acrescenta.

Fonte: Exame PME

5 lições de Barack Obama para empreendedores

5 lições de Barack Obama para empreendedores

Reed Hundt é parte da história da política americana. Durante o primeiro mandato de Bill Clinton, de 1993 a 1997, ele foi o presidente da Comissão de Comunicação Federal dos Estados Unidos. Seu trabalho era simplesmente descobrir as maneiras mais eficientes de fazer a ponte de contato entre a presidência e os cidadãos. Hoje, ele está à frente da organização Coalition for Green Capital, que trabalha com políticas financeiras para apoiar investimentos em eficiência energética, e é conselheiro sênior do fundo de private equity Skadden, Arps and GTCR.

Hundt foi um dos palestrantes chamados para falar suas ideias para os empreendedores do Intel Global Summit, evento que reúne as startups que receberam aporte do Intel Capital, realizado até esta quarta-feira (5/11) em Huntington Beach, na Califórnia. Como é sua área de especialização, ele decidiu mostrar quais as lições que os donos de empresas podem tirar do governo do atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

1. Veja os problemas como oportunidades

Quando Barack Obama assumiu a presidência depois de George Bush, encontrou uma situação econômica muito delicada. O sistema bancário estava em colapso e a crise viria de qualquer maneira. “Ele analisou tudo com muita clareza e tentou ver a situação como uma boa oportunidade para agir de um jeito que seu governo fizesse a diferença”, diz Hundt.

2) Siga a maré

“Você não discute com movimentos ou com tendências que estão ocorrendo. Você tem de entrar nelas”, diz o especialista. Em 2008, quando Obama se tornou presidente, além de um sistema bancário em colapso, ele encontrou uma crise fiscal inevitável. “Era como um terremoto no Pacífico que havia causado um tsunami que estava prestes a chegar. E esse tsunami era o desemprego”. O que Hundt diz é que não existia uma maneira de evitar a crise. Assim, o presidente se propôs a fazer aquilo que podia fazer: encontrar uma maneira de colocar os bancos de volta aos trilhos e criar um plano no longo prazo para reverter o desemprego, que aumentaria de qualquer maneira. “Quando você aceita os problemas, você consegue entendê-los e se planejar para resolvê-los.”

3) A estratégia importa

Segundo Hundt, Obama adotou duas estratégias muito claras: manter o otimismo e se mover rapidamente no Congresso para aprovar as medidas que achava importante. Ficar positivo naquele momento era importante para mostrar à população que tudo estava sob controle. “Ele usou rapidamente a maioria democrata no Congresso para conseguir passar uma série de medidas que ajudaram a contornar alguns efeitos da crise.”

4) Faça uma coisa por vez

“Você faz uma coisa e termina e depois você faz a próxima. Você não faz quatro e não termina nenhuma”, afirma Hundt. Uma das primeiras coisas que o presidente americano fez ao assumir o cargo foi aprovar um plano para conter a crise. Depois, se dedicou a criar um plano universal de saúde para os Estados Unidos. Vários governos anteriores haviam tentado implementar essas duas mudanças no governo americano. “Mas Obama foi o único bem-sucedido porque ele fez uma coisa de cada vez. E terminou tudo o que começou.”

5) É necessário um inimigo?

Quando chegou à Casa Branca, Obama encontrou uma situação econômica alarmante. Mesmo assim, optou por não escolher culpados. “Ele não culpou a administração anterior, não culpou o mercado imobiliário, que foi responsável pela crise. Nada. Ele não ficou apontando dedos”,

afirma Hundt. Ele acredita que essa é uma reflexão importante para os empreendedores que enfrentam problemas. “Você mostra que é bom porque consertou algo feito por outra pessoa? Ou porque derrotou o concorrente? Ou é melhor evitar esse conflito e simplesmente colocar em prática uma solução melhor?”.

Fonte: PEGN